Você está aqui: Página Inicial História História da Cidade
Ações do documento

A História de Espera Feliz

Espera Feliz é um município do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em 2013 foi de 24.098 (IBGE). habitantes. Espera Feliz encontra-se a 23 km de Carangola, e a 378 km de Belo Horizonte, a capital do estado.

HISTÓRICO:

A tradição informa que uma comissão de engenheiros, tendo sido enviada pelo Governo Imperial de D. Pedro, para procedimento de pesquisa na região, acampou no local onde está situada a atual Praça da Bandeira, no centro da cidade. Como de costume, alguns engenheiros, membros da comissão imperial, puseram-se à espera de possíveis caças que eram abundantes na região. Como era de se esperar, não faltaram caças e, após dias sucessivos, foram “FELIZES”, naquela empreitada e daí surgiu o primitivo nome de “FELIZ ESPERA”.

Conta-se ainda, que o Cap. Antonio Carlos de Souza, residente em Carangola, ao adquirir uma vasta gleba de terra, dentro do qual se assenta, a maior parte da cidade de Espera Feliz, vinha com familiares e amigos de quando em vez, passear e caçar nas terras que havia comprado. A caça era deveras, abundante e fácil. Eram muito “FELIZES” à “ESPERA” da caça. E quando eram indagados sobre aonde tinham ido, diziam simplesmente: “Fomos à Feliz Espera”, isto é, onde se é “FELIZ” na “ESPERA” da caça. Daí no nome foi pegando. “Se non é vero, é bene provato”, como diz o ditado italiano.

Mas o nome primitivo, dado pelos primeiros entrantes era Braço do Rio, por causa da confluência dos dois rios que banham a cidade. Pois, até o início do século XIX, esta região era interditada à exploração. Constituía-se a chamada “Zona Proibida”, área em que a mata não podia ser aberta para a ocupação humana, pois servia de barreira natural à região do ouro, evitando assim o contrabando.

Assim quando os primeiros desbravadores chegaram a esta estas terras, no início do século XIX, à época habitada por tribos da etnia “puri coroados” demarcaram com cruzes dedicadas respectivamente a:

- São Sebastião onde hoje se localiza o povoado de São Sebastião da Barra;

- São Gonçalo onde hoje se localiza o povoado de São Gonçalo;

- São João Batista onde hoje se localiza a cidade de Caiana;

- Divino Espírito Santo onde hoje se localiza o Distrito de Divininho (Caiana);

- São José onde hoje se localiza o Distrito de São José da Pedra Menina;

- Santo Antonio de Pádua onde hoje se localiza a comunidade do Cruzeiro;

- Santa Rita de Cássia onde hoje se localiza o povoado de Santa Rita (Caparaó);

- Nossa Senhora da Conceição onde hoje se localiza a cidade de Alto Caparaó;

Portanto em 1822, o CelAntonio Dutra de Carvalho – Cel. Dutrão inaugurou o desbravamento das terras que hoje são abrangidas pelas vertentes do Rio Caparaó. Já no ano de 1831, outros aventureiros, oriundos das cabeceiras do Rio Carangola, transpondo as serras que separam as suas vertentes do Rio Paraíba, fixaram-se nas nascentes do Rio São João, nas terras que mais tarde constituiriam o município de Espera Feliz.

As terras situadas nas cabeceiras do Rio São João, onde nascem numerosos ribeirões foram adquiridas em 1831, data imprecisa, pelo guarda-mor Manoel Esteves de Lima, proprietário do grande imóvel “Santa Maria”. Em tais glebas hoje se localiza o município de Caparaó – antigo distrito de Espera Feliz.

O primeiro proprietário de terras no local da atual cidade de Espera Feliz foi o Tenente-Coronel Francisco Xavier Monteiro da Gama. Mais tarde transferiu estas para Antonio Francisco de Oliveira. Este, sem recursos para administrar o imóvel, transferiu-as para seu cunhado o Cap. Antonio Carlo de Souza, no ano de 1873. O grande motivo para o desbravamento e fixação foi a busca de terras férteis para a agricultura. A mineração viria apenas no século XX.

Todo território que hoje integra o município de Espera Feliz pertenceu à Vila de Campos de Goitacazes, da província do Rio de Janeiro. Somente muitos anos depois, passou aquele território a integrar a Freguesia de Nossa Senhora da Conceição dos Tombos do Carangola (Tombos – MG) – Comarca de Presídio (hoje Visconde do Rio Branco – MG). Mais tarde veio o referido território pertencer à Vila de Ubá – MG, depois ao Termo de São Paulo do Muriaé – MG, e por último, pertencer à Freguesia de Santa Luzia do Carangola - MG

É importante frisar que do atual município a primeira povoação que se formou foi a de São Sebastião da Barra, distante 6 km da sede atual. Tal localidade chegou a ser um vilarejo muito próspero, sendo criado neste o Distrito de Paz, a 13 de maio de 1886, e instalado por força do Decreto-lei nº 116 de 21 de junho de 1890, na Freguesia de Santa Luzia do Carangola - MG.

Atestam os antigos que, quando se projetou, no início do século XX, a Estrada de Ferro THE LEOPOLDINA RAILWAY COMPANY LIMITED, estendendo a ligação de Carangola a Manhuaçu, ela passaria por São Sebastião da Barra. Os fazendeiros da região reagiram, alegando que a implantação da estrada iria estragar e desvalorizar seus terrenos, pois corria naquela época a superstição de que: “Com o trem de ferro, viria junto a Gripe Espanhola”.

Diante de tamanho alvoroço e oposição, a Companhia mudou seu traçado. Na altura do centro da atual cidade de Espera Feliz, foi localizado o entroncamento dos dois ramais da estrada de ferro: para Manhuaçu – MG e para o Espírito Santo (1912). Ali se construíram também, a Estação Ferroviária, a caixa d’água para abastecimento da máquina a vapor, o reservatório de lenha para a caldeira e a casa da turma de conservação da linha férrea.

O local tornou-se, naturalmente, um ponto de convergência e, com o tempo, foi-se formando um arruamento, início de uma futura cidade. Sendo que o Cap. José Carlos de Souza doou terras para a construção das primeiras casas, no local que recebeu o nome de Rua Nova. No centro o Senhor Dioclécio Lacerda construiu o primeiro prédio, destinado a hotel. A Senhora Cira Rosa de Assis doou as terras para a passagem da ferrovia, o local da estação e a área destinada ao triângulo, bem como a área onde a Companhia Ferroviária construiu um casarão (residência) destinado a abrigar os engenheiros britânicos encarregados da construção da Estrada de Ferro. Na margem oposta do Rio São João o Major Francisco Pereira de Souza construiu um grupo de casas, que recebeu o nome de Rua Pereira, bem como a área destinada a ereção da Capela dedicada a São Francisco de Assis, e a área para o cemitério.

Durante este período a localidade recebeu o topônimo de “LIGAÇÃO” vez que a Estrada de Ferro THE LEOPOLDINA RAILWAY COMPANY LIMITED fazia a ligação entre os estados de Minas Gerais e Espírito Santo.

No ano de 1912 o Arcebispo de Mariana, Dom Silvério dos Santos Pimenta, criou o Curato de São Sebastião da Barra, nomeando o Monsenhor José Maria Gonzalez o seu primeiro Cura.

Diante de tais fatos, o Distrito de São Sebastião da Barra foi entrando em declínio e Espera Feliz em franco desenvolvimento, o que acarretou que em 18 de setembro de 1915, a Lei Estadual nº 663 determinou a transferência da sede do Distrito, de São Sebastião da Barra, para a localidade de Espera Feliz.

Não obstante, por esta mesma época a sede do Curato, cujo o orago dedicado a São Sebastião também é transferida para a nova sede do Distrito, ou seja, Espera Feliz, sendo doado pela dona Maria, viúva do Capitão Francisco Gomes da Silva, o patrimônio para a construção da Matriz dedicada a São Sebastião. No dia 27 de setembro de 1928 o Bispo de Caratinga, Dom Carloto Távora eleva o então curato à Paróquia de São Sebastião de Espera Feliz, nomeando o Padre José Lanzilote como seu primeiro Pároco.

Através do Decreto-Lei nº 148, de 17 de dezembro de 1938 foi criado o Município de ESPERA FELIZ – MG, com território desmembrado do município de Carangola, figurando em seu território os Distritos Sede, Caiana e Caparaó, cuja a instalação ocorreu no dia 1º de janeiro de 1939, sendo nomeado como prefeito o Doutor José Augusto Ferreira.

No ano de 1963 o município de Espera Feliz perdeu parte de seu território com a criação dos Município de Caiana e Caparaó.

Atualmente o município é composto do Distrito Sede e de São José da Pedra Menina.

O município de Espera Feliz – MG é sede de Comarca, instalada em 18 de abril de 1992, com sua jurisdição abrangendo também os municípios de Caiana e Caparaó, bem como é sede da 303ª Zona Eleitoral, também com jurisdição sobre os municípios Caiana e Caparaó.

Aspectos físicos do município

O Município de Espera Feliz está situado na Mesorregião da Zona da Mata Mineira. Com área de 317,638 km², limita-se ao norte pelos municípios de Alto Caparaó e Caparaó, ao sul pelos de Carangola e Caiana, a leste pelo de Dores do Rio Preto, no Espírito Santo, e a oeste pelo de Divino. É parte integrante do maciço do Caparaó, com altitudes variando entre 900 e 2.000 metros. A sede municipal está a 748 metros de altitude, tem sua posição geográfica determinada pelo paralelo 20º 39’ 00” de latitude sul em sua interseção com o meridiano de 41º 54’ 26” de longitude oeste. O clima é Cwa (tropical de altitude), com verão ameno e inverno frio, variando entre as médias de máxima 25,3º e média das mínimas 12,8º. A precipitação pluviométrica anual é em médias de 1.595 mm.

O censo demográfico de Espera Feliz no ano de 2010 cadastrou 22.856 habitantes, e a População estimada em 2013 foi de 24.098 (IBGE). A densidade demográfica é de 71,96 habitantes por km². O município é servido pelas seguintes estradas de rodagem: BR-482 (Carangola – Espera Feliz – Guaçuí – ES), MG-111 – Rod. Padre Julio Maria (Espera Feliz – Manhumirim), LMG-834– Rod. Padre JoãoGehlen (Espera Feliz – Caiana), AMG-900 – 2906 - Rodovia Agostinho Patrus – Estrada Parque (Espera Feliz – Portaria Parque Nacional do Caparaó) e por mais 69 estradas municipais.

Aspectos Socioculturais, Clubes e Organizações Sociais

Espera Feliz é atendida por três escolas estaduais na zona urbana, sendo elas: Escola Estadual Altivo Leopoldino de Souza, que oferece ensino de fundamental (6º ao 9º ano) e médio, Escola estadual Erênio de Souza Castro,1º ao 5º anos do ensino fundamental e Escola Estadual Interventor Júlio de Carvalho, oferecendo ensino do 1º ao 9º anos do ensino fundamental e médio; também é atendida por uma escola municipal: CMEI Crescendo e Aprendendo, que oferece ensino infantil e ensino médio do 1º ao 9º ano; bem como é atendida por duas escolas particulares, sendo elas Colégio Portal do Saber e Escola Cristã Arca de Noé, que oferecem do maternal até o ensino médio.

A cidade conta ainda, com a APAE, que oferece apoio e ensino as crianças portadoras de necessidades especiais.

Funciona também em Espera Feliz várias entidades sociais e clubes de serviços, como:

- Loja Maçônica Fraternidade Prudência e Luz, a qual patrocina o Capítulo Espera Feliz nº 595 da Ordem DeMoley;

- Loja Maçônica Sabedoria e Silêncio;

- Lions Clube de Espera Feliz;

- Rotary Club de Espera Feliz, o qual patrocina o Rotaract Club de Espera Feliz (Jovens) e o Interact Club de Espera Feliz (adolescentes);

- Clube ARCA;

- Campestre Clube de Espera Feliz;

- Clube dos Trinta;

- Cowboys Amigos de Espera Feliz;

- AMEI – Clube da Melhor Idade de Espera Feliz;

- Grupo Escoteiros Força do Amanhã – 123º/MG;

- Moto Clube Falcões da Montanha.

Aspectos religiosos

A religião predominante no município é a Católica Romana, e o padroeiro da cidade é São Sebastião, o qual segundo o IBGE (senso 2010) é praticada por 62,76 % da população. Também outras religiões são praticadas por grande número de fiéis, a exemplo dos Protestantes, com marcante presença dos Presbiterianos, Batistas,Assembleianos e outros, configurando cerca de 24,33% da população (IBGE /senso 2010). Existe também o espiritismo "Kardecista", praticado por cerca de 2,27% (IBGE /senso 2010), e seguidores de outras ou nenhuma religiões, cerca de 10,62% (IBGE /senso 2010).

História política

Espera Feliz teve em sua história política os seguintes prefeitos:

1939 a 1941

Dr. José Augusto Ferreira

1941 a 1944

Dr. Joaquim Cabral

1944 a 1946

Pedro de Oliveira

1946 Jan/Fev

Raimundo Augusto

1946 Mar/Abr

Sebastião Campos

1946 Mai/Dez

João Ramanielo

1947 a 1950

Alfredo Brandão (o 1º prefeito eleito pelo povo)

1951 a 1954

Américo Vespúcio de Carvalho

1955 a 1958

Jayme Toledo

1959 a 1962

Dr. Moacir Magalhães Caldeira

1963 a 1966

Américo Candido de Souza

1967 a 1970

Maclóvis Murilo Lopes

1971 a 1972

Bráz Grillo

1973 a 1976

Manoel Lacerda de Oliveira

1977 a 1982

Bráz Grillo

1983 a 1988

Reinô Martins de Oliveira

1989 a 1992

Osmar Gomes da Silva

1993 a 1996

Jardir da Silva Vidal

1997 a 2000

Reinô Martins de Oliveira

2001 a 2004

Tarcisio Maria de Lacerda

2004 a 2008

Jardir da Silva Vidal

2008 a 2012

Aloísio Barbosa

2013 a 2016

João Carlos Cabral de Almeida

Instituições Financeiras

Prestam serviços no município de Espera Feliz as seguintes instituições financeiras:

Banco Bradesco S/A;

Banco do Brasil S/A;

Caixa Econômica Federal;

Sicoob/Credisudeste; e

Cresol.

Instituições Cartoriais e Tabelionatos

- Cartório de Registro Civil e Pessoas Naturais de Espera Feliz;

- Cartório de Registro Civil e Tabelionato de Notas do Distrito de São José da Pedra Menina;

- Cartório de Registro de Títulos e Registro de Pessoas Jurídicas de Espera Feliz;

- Cartório do 1º Ofício de Notas de Espera Feliz;

- Cartório do 2º Ofício de Notas de Espera Feliz;

- Cartório do Registro de Imóveis de Espera Feliz; e

- Cartório de Protesto de Títulos e Documentos de Espera Feliz.

Instituições Filantrópicas, Associações e Sindicatos

- Sindicato Rural de Espera Feliz (Patronal);

- Sindicato dos Trabalhadores Rural de Espera Feliz;

- AMAVA – Associação dos Moradores da Comunidade da Vargem Alegre e Adjacências;

- Associação dos Produtores Rurais do Setor do São Gonçalo e Adjacências;

- Associação dos Moradores do Bairro João Clara e Adjacências;

- Associação dos Moradores do Bairro Vale do Sol e Adjacências;

- Associação dos Moradores do Bairro Santa Cecilia e Adjacências;

- SPAEF – Sociedade de Proteção aos Animais de Espera Feliz;

- Conselho Particular Santa Luiza de Marilac (Vicentinos);

- CAPSOL – Associação Filantrópica Casa do Acolhimento Portal do Sol;

- Associação Leleco para Crianças;

- Lar São Sebastião.

- Viver Feliz - Associação dos Familiares, Amigos e Usuários da Saúde Mental;

- Associação Reviver II, Centro Reabilitação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Banners